O INÍCIO – PRIMEIROS PASSOS PARA A CRIAÇÃO I

  • by

Pic: Carla Tomé

HISTÓRIA DO CLUBE

O INÍCIOOS PRIMEIROS PASSOS PARA A CRIAÇÃO I

Iniciamos hoje a publicação de alguns artigos a relembrar a história do Surfing e do Península de Clube Surf Clube

In SURF MAGAZINE N.º 20, abril/maio 1992 (Pg.18)

PENICHE SURF CLUBE

Antigo, mas nunca oficializado! Organização simples, mas com pouca motivação, excluindo-se algumas pessoas. Grande potencial de jovens revelações de surf e bodyboard, incluídos no melhor circuito inter-escolas do país!

Envolvidos pelo verdadeiro espírito do surf, há alguns anos, os irmãos Taveira, juntamente com o Pata e o Paulo Ferreira, faziam o 1º circuito regional de surf e bodyboard de Peniche, do pretenso clube, anexado à Associação de Educação Física e de Peniche.

Foram sete ou oito provas mistas que marcaram o início da competição regional há aproximadamente cinco anos.

Os patrocínios eram poucos, únicos, mas havia maior número de surfistas e até com melhor qualidade.

Surfistas como Albano, Luís Cenoura, Tó Gama, Carlos Sousa e outros como o “Baixinho”, davam a imagem de um conjunto completo e de alto nível. No entanto, o circuito nunca se repetiu, o clube nunca emergiu e só passados dois anos se deu início ao circuito inter-escolas, que é o melhor exemplo para todas as escolas e jovens de todo o país.

Teresa Ayala, surfista por natureza, teve a determinada altura um papel importante, único e incentivador desta “complicada” iniciativa. Assim em 1989, dá-se início ao 1º circuito inter-escolas de surf e bodyboard da região centro, com a Té (Teresa Ayala) e o incansável esposo à cabeça, trazendo como ajudas a Xana Barata, o Marinho e o Zézé. Sempre prontos a apoiarem estiveram a Câmara Municipal de Peniche, os comerciantes locais, com especial destaque para o Miguel Oliveira e ainda ajudas pontuais do Philippe Brun. Todos juntos tentaram alertar ou acordar o espírito desportivo inexistente, tal como aspectos ecológicos diretamente à cidade e suas praias.

Por isso realizaram uma prova na Papôa que pela primeira vez, visava além da competição, incutir um espírito de defesa ecológica, pelo elevado grau de poluição que se verificava nas águas daquela praia.

Os objectivos pretendidos foram alcançados e assim Zé Farinha bebe um belo golo de água, na sua primeira onda… gesto único! No surf destacavam-se Ricardinho, o irmão Leopoldo, ainda o Albano, Nuno Castro, Valara, Peres e mais alguns. NO Bodyboard destacavam-se Nuninho, Zézé, Vasco Mensurado; uma grande tripla, desde sempre, tal como a Xana Barata. Por falta de vontade de trabalhar para o surf e outros tantos motivos tal como confessou a Té, os organizadores foram abandonando estas iniciativas pouco interessados, a não ser pelas ondas. Tal como a maioria dos nomes representados desta zona, mas que ainda se veem na praia; Coelho, “Demis”, os irmãos Baltazar, “Luís Inglês”, Michel, Luís Chave e muitos outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *